CANAL DE PERÍCIA

MÍDIA - EDUCAÇÃO - COMUNIDADE 

Por meio deste portal, o Canal de Perícia disponibiliza informações completas sobre perícia e investigação forense, 24 por dia. Resumos de pesquisas, atualidades, breaking news, concursos, legislação e muito mais, podem ser encontrados a todo instante nas mídias sociais. 

Menu

Cursos

Outros

2011-2020 © Canal de Perícia Todos os direitos reservados.

  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • Facebook Social Icon

Avenida Brigadeiro Faria Lima, 1461 - Jardim Paulistano 
São Paulo - CEP 01452-002

 

Brasileiros também podem doar seus corpos.

Recentemente nós apresentamos uma matéria sobre as fazendas de corpos. Que são laboratórios ao ar livre para o estudo, entre outras coisas, da decomposição do corpo humano. Ao final, nós questionamos se vocês estavam ou não dispostos a doarem seus próprios corpos para ciência. Bem, surpreendentemente, muitos, não sei se a maioria, disseram que sim. E alguns, inclusive, nos questionaram se isso era possível. Então, para explicar isso melhor, nós encontramos uma pessoa que doou o próprio corpo. Eu vou contar como foi. Leia até o final e entenda.



O doador se chama José Maria da Silva, mineiro de Belo Horizonte, que foi caminhoneiro e se aposentou como motorista de taxi, depois de treze anos de trabalho. Ele contou que a ideia de doar o próprio corpo surgiu depois de uma conversa que teve com um médico patologista que pegou seu taxi. Cerca de 20 anos atrás. José Maria contou que durante o percurso o médico fez um desabafo que o sensibilizou. Disse que a falta de cadáveres frescos, ainda não trabalhados por turmas anteriores na universidade, estava dificultando sobremaneira que os novos alunos tivessem um ensino de qualidade e se tornassem médicos verdadeiramente capacitados.


José Maria conta que ficou com aquilo na cabeça muitos meses até que então, convicto de sua decisão, procurou a Universidade Federal de Minas Gerais e depois de algum tempo, formalizou seu interesse em doar o próprio corpo.

A possibilidade da doação encontra-se normatizada no Código Civil Brasileiro. E inclusive menores de 18 anos, com a autorização dos pais é claro, podem optar pela doação.

A instituição que recebe o corpo, o faz logo depois do velório. E existem corpos, por incrível que pareça, que permanecem sendo estudados por mais de 50 anos! É como se o cadáver tivesse uma nova vida.


Uma última coisa: no Brasil, da mesma forma que é feito com a doação de órgãos, a família do doador precisa confirmar a doação logo depois de sua morte. Caso opte por não confirmar, a doação não acontece e a vontade do doador não é satisfeita. Bem, alguém continua interessado em doar o próprio corpo?


Eu espero que você tenha gostado desse artigo e, se gostou, deixe um like e compartilhe com seus amigos! Se for sua primeira vez aqui, não deixe de se inscrever no CDP! Aqui, você encontra conteúdo forense relevante todos os dias!


41 visualizações