Cresce o número de acidentes em elevadores no País

Elevadores são considerados um meio de transporte, assim como carros, aviões e navios. Porém, elevadores são mais seguros que carros - em média, 26 pessoas morrem em acidentes com elevadores por ano, contra 141 mortes por hora no trânsito.


Equipe de perícia de Porto Alegre atendendo local de acidente fatal em elevador - Foto de Ronaldo Bernardi

A área da Perícia que cuida desse tipo de ocorrência é a Engenharia Forense. Normalmente, ao chegar ao local do acidente, o perito verá apenas o seu resultado final, e, por isso, a engenharia forense é conhecida como “ engenharia reversa”, pois para a realização dos métodos de análises e determinação do ocorrido é realizada a técnica de reversão dos fatos, estabelecendo as falhas, a causa raiz e, principalmente, o que, como, quando, quem e porquê ele aconteceu, sendo necessário reunir o máximo de evidências possíveis para se chegue às devidas conclusões.


Os elevadores são projetados para transportar, no máximo, uma pessoa a cada 70 centímetros quadrados.


Um dos maiores casos de queda livre de um de elevador aconteceu em 1945, quando um avião B-25 colidiu contra o 80º do Empire State Building, em Nova York. Betty Lou Oliver, que trabalhava como ascensorista no prédio, despencou de assustadores 75 andares. Ela só sobreviveu porque os cabos, que se enrolaram no fundo do poço, formaram uma espécie de mola, que atenuou o choque da queda da cabine. Ela acabou entrando para o Guinness World Records, o livro mundial dos recordes, como a sobrevivente à queda de elevador mais longa da história.


Cada elevador é sustentado por vários cabos de aço, que podem suportar muito mais peso do que o aviso interno indica. Mas, ficar preso em um elevador em queda livre é uma ideia que aterroriza muita gente - mesmo que seja algo incrivelmente raro, considerando a quantidade de viagens que são realizadas todos os dias.

"A maioria das fobias deriva de algum tipo de perigo primitivo que é comum a todos nós e está enraizado na nossa psique. As fobias mais comuns são de espaços fechados e medo de altura - e ambas estão envolvidas no ato de andar de elevador. A cobertura da imprensa, sobre os raros casos de acidente com elevador, reforça o medo, não importa o quão atípico eles sejam.", disse Sheri Jacobson, psicoterapeuta do instituto Harley Therapy, em Londres, à BBC em 2012.

No mundo, existem vinte vezes mais elevadores do que escadas rolantes, mas apenas 1/3 dos acidentes acontecem em elevadores. A falta de manutenção adequada é a principal causa desses acidentes, que afetam não só os passageiros comuns, como também seus técnicos, que trabalham na conservação do equipamento.


No Brasil, o número de acidentes em elevadores tem registrado um aumento considerável, de acordo com o Sindicato das Empresas de Elevadores do Estado de São Paulo (Seciesp). Graves acidentes foram registrados nos primeiros sete meses do ano (2019), em diversas regiões do País, muitos deles com vítimas fatais. Nesse período foram contabilizadas oito mortes em São Paulo, Salvador, Fortaleza, Rio de Janeiro e Santa Catarina, mais de uma vítima fatal por mês, e dezenas de feridos.


A falta de fiscalização tem papel determinante nessas ocorrências pois, fora o município de São Paulo, não há lei que obrigue a fiscalização e manutenção dos elevadores nas demais cidades do País. Com o agravamento da crise econômica, muitos condomínios têm adiado investimentos em manutenção, troca de peças e troca de elevadores. Sem fiscalização, aumenta a possibilidade de irregularidades que causam acidentes, destaca o presidente do Seciesp.


Conheça, agora, algumas curiosidades sobre esse meio de transporte tão comum no nosso dia a dia:


Elevador Lacerda - O primeiro elevador urbano do mundo

1. O Elevador Lacerda, em Salvador (BA), foi o primeiro elevador urbano do mundo, inaugurado em 1873. Com 72 metros de altura, ele transporta até 900 mil passageiros por mês;


2. Na maioria dos elevadores, produzidos de 1990 para cá, o botão para fechar a porta não faz nada - ele está ali só para controlar a ansiedade dos passageiros;


3. A cada três dias, os elevadores do mundo transportam sete bilhões de passageiros, o que é equivalente a toda população da Terra;


4. A altitude máxima que um cabo de elevador pode chegar é de 518 metros, ou cerca de 170 andares;


5. Em muitos sistemas, se você pressionar o botão do andar errado, pode cancelar a operação pressionando o mesmo botão duas vezes ou mantendo pressionado por alguns segundos;


6. A superstição faz com que alguns elevadores "não tenham" o 13º andar. Na China, o andar azarado é o 4º;


7. O primeiro registro de um elevador data do século 3 a.C., na Grécia, criado pelo matemático Arquimedes;


8. Na Roma antiga, o Coliseu tinha 24 elevadores, que eram operados por mais de 200 escravos;


9. Não segure as portas, a maior parte dos acidentes acontece quando as portas estão se fechando;


10. Em média, cada pessoa anda de elevador quatro vezes por dia.

CANAL DE PERÍCIA

MÍDIA - EDUCAÇÃO - COMUNIDADE 

Por meio deste portal, o Canal de Perícia disponibiliza informações completas sobre perícia e investigação forense, 24 por dia. Resumos de pesquisas, atualidades, breaking news, concursos, legislação e muito mais, podem ser encontrados a todo instante nas mídias sociais. 

Menu

Cursos

Outros

2011-2020 © Canal de Perícia Todos os direitos reservados.

  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • Facebook Social Icon

Avenida Brigadeiro Faria Lima, 1461 - Jardim Paulistano 
São Paulo - CEP 01452-002