CANAL DE PERÍCIA

MÍDIA - EDUCAÇÃO - COMUNIDADE 

Por meio deste portal, o Canal de Perícia disponibiliza informações completas sobre perícia e investigação forense, 24 por dia. Resumos de pesquisas, atualidades, breaking news, concursos, legislação e muito mais, podem ser encontrados a todo instante nas mídias sociais. 

Menu

Cursos

Outros

2011-2020 © Canal de Perícia Todos os direitos reservados.

  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • Facebook Social Icon

Avenida Brigadeiro Faria Lima, 1461 - Jardim Paulistano 
São Paulo - CEP 01452-002

 

Os pregadores devem ter limites?


Hoje eu assisti a esse vídeo nas redes sociais. Eu não sei se é antigo, não sei se é recente. Acho inclusive que é recente, porque, se fosse antigo, eu penso que já teria visto. Bem, o pastor pediu dinheiro aos fiéis para pagar as suas próprias contras, pediu dinheiro para milhares de fiéis, dizendo que quem queria que eles dessem o dinheiro, era, na realidade, o Espirito Santo.

Ele disse que o Espirito Santo não queria palmas. Porque os fiéis estavam batendo palmas antes dele começar a falar. Disse que o Espirito Santo queria que eles, os fiéis, o ajudassem a pagar as contas. Sério. Pessoal, sinceramente, isso é imoral. Mas também não seria um crime? Vamos analisar isso.


As religiões são tidas como um bálsamo para suportar os percalços e as angústias da existência e, ao mesmo tempo, buscar um propósito ético-moral para a vida. Esse é o lado positivo da fé. No reverso da moeda, ao longo da história, as diversas religiões travaram combates ferozes para conquistar poder e glória, além dos corações e mentes dos fiéis.

Um personagem é, e sempre foi essencial para a expansão das religiões, sobretudo do cristianismo: o pregador. Desde os primórdios, é ele quem traduz a mensagem muitas vezes cifrada, dos textos religiosos para grandes multidões, buscando convertê-las à sua fé. Quando têm êxito e suas igrejas florescem, alguns desses pregadores se aproveitam para acumular privilégios e riquezas.


Quanto àquele pregador do vídeo, aquele pastor, ele diz com clareza que “não crê que o Espirito Santo queira palmas”, e depois complementa “ele quer que você nos ajude a pagar nossas contas”.


Bem, vamos considerar que o Espirito Santo, não apareceu em pessoa, claro, se é que se pode falar assim, e disse aquilo ao pastor, então, nesse caso o pastor mentiu, o que caracterizaria uma fraude, mas, ainda que ele não tenha mentido, na melhor das hipóteses, ele especulou com base no que ele achava que espirito santo queria. Bem, isso crime. Está previsto no inciso IX, do artigo 2º da Lei que define os crimes contra a economia popular. Vejam o que diz o texto da Lei:

IX – Obter ou tentar obter ganhos ilícitos em detrimento do povo ou de número indeterminado de pessoas mediante especulações ou processos fraudulentos (...)

Pena: detenção de 06 meses a 2 anos, e multa.


Eu acho que não dúvidas quanto à conduta criminosa do pastor. Por favor, escreva e diga o que você pensa sobre isso.


42 visualizações1 comentário