CANAL DE PERÍCIA

MÍDIA - EDUCAÇÃO - COMUNIDADE 

Por meio deste portal, o Canal de Perícia disponibiliza informações completas sobre perícia e investigação forense, 24 por dia. Resumos de pesquisas, atualidades, breaking news, concursos, legislação e muito mais, podem ser encontrados a todo instante nas mídias sociais. 

Menu

Cursos

Outros

2011-2020 © Canal de Perícia Todos os direitos reservados.

  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • Facebook Social Icon

Avenida Brigadeiro Faria Lima, 1461 - Jardim Paulistano 
São Paulo - CEP 01452-002

 

Medição da Temperatura Corporal Pós-morte

Não é segredo para ninguém que após a morte a temperatura no corpo começa a cair gradualmente, até se tornar igual à temperatura ambiente. A dinâmica deste processo é muito diversa e depende de muitos fatores: o tipo e as circunstâncias da morte (incluindo a temperatura do ambiente na hora da morte), o leito do cadáver, roupas, percentual de gordura no corpo, umidade do ar e seu movimento (quantidade de vento), etc.


Consideramos, tradicionalmente, três períodos de resfriamento de um cadáver:

  • Período de resfriamento irregular (ou desordenado) - Pela definição de L. Althaus, C. Hennsge - “Platô de temperatura” - tratam-se das primeiras horas após a morte.

  • Período de resfriamento regular do cadáver - o cadáver esfria de acordo com uma regra (*) matematicamente descrita por equações exponenciais (geralmente de 4-5 a 12-24 horas após a morte).

  • Período de equalização de temperaturas do cadáver e do ambiente - geralmente em 20-36 horas após a morte, a temperatura do cadáver é comparada com a temperatura ambiente e o arrefecimento do corpo para.

Esses períodos são bastante arbitrários e sua duração pode variar dependendo de tudo o que é descrito no primeiro parágrafo desta publicação.


Termômetro utilizado para medição de temperatura no cérebro

Agora, sobre o mais interessante - Como medir a temperatura do cadáver?


Nem pense nas axilas! Lembre-se, também, que a marca mais baixa do termômetro regular é de 35 graus, aos quais nossos "pacientes" não se encaixam mais.


Há duas formas utilizadas: uma na cena da ocorrência da morte, e outra, utilizada pelos médicos legistas, no momento da autópsia. Os legistas geralmente medem a temperatura do cérebro e/ou do fígado, utilizando equipamentos especiais (veja foto ao lado). Já os peritos utilizam um equipamento que emite um tipo de radiação infravermelha para efetuar a medição de temperatura do corpo, o termômetro óptico, ou digital


Devemos sempre lembrar que a temperatura é importante para determinar a hora da morte (Time of Death), que nós já falamos algumas vezes a respeito.












(*) Saiba mais sobre o assunto nesse vídeo do Canal de Perícia: